o stmo

fique a conhecer

o que fazemos no stmo

 

  • Leucemias

    As leucemias so doenas malignas do sangue em que uma populao de clulas (os blastos) infiltram e "asfixiam" a medula ssea, impedindo a produo normal de clulas do sangue a ponto de, se no for tratada, levar morte, principalmente por falncia da medula.

    A quimioterapia citotxica pode destruir estas clulas malignas, mas tambm atinge as clulas normais da medula. No tratamento convencional da leucemia, as doses de quimioterapia so limitadas, de modo a no serem muito txicas para a medula ssea, permitindo que a medula normal, depois de um perodo de "paralisia" e suspenso transitria de produo de clulas normais, retome a sua actividade regenerativa. Com um enxerto de medula ssea possvel, depois de dar doses muito altas de quimioterapia para destruir a doena, restabelecer a funo da medula que ficou destruda por essas doses macias de quimioterapia. Portanto, a transplantao realiza-se depois da quimioterapia (com ou sem radioterapia) e outros tratamentos terem sido administrados para eliminarem as clulas malignas e suprimirem a imunidade do doente. O enxerto vai substituir a medula do doente por uma medula de um dador ou do prprio doente.

    H diversos tipos de leucemias. A indicao para transplante e a fase em que est indicado varia conforme o tipo.

    Leucemia mieloblstica aguda - O transplante tem maior probabilidade de sucesso quando o doente se encontra em 1 remisso, do que em fases mais avanadas (2 remisso ou recada), devido ao menor risco de recada em fases mais precoces da doena. O autotransplante, geralmente usado como teraputica de consolidao do tratamento convencional.

    Leucemia linfoblstica aguda - Esta o tipo de leucemia mais frequente nas crianas. Atualmente, na maioria das crianas apenas com quimioterapia convencional obtm-se cura. No entanto, depois de recada ou em certos grupos de doentes com caractersticas de alto risco a probabilidade de sucesso da quimioterapia significativamente menor pelo que nesses casos est indicado o transplante. Nos adultos, a probabilidade de sucesso da quimioterapia bastante menor, pelo que h indicao para transplante em 1 remisso. Na LLA, geralmente no se efectuam transplantes autlogos, pois os resultados so sobreponiveis aos da quimioterapia convencional.

    Leucemia mieloide crnica - A transplantao alognica o nico mtodo com possibilidade de cura nesta doena. Quanto mais precocemente for efectuado, maior possibilidade de sucesso tem o transplante e menor risco de complicaes. O autotransplante neste tipo de Leucemia experimental.

  • O Autotransplante est indicado em doentes com menos de 65 anos e aps tratamento convencional. Poder haver indicao para um duplo autotransplante, sendo o segundo 3 a 6 meses aps o primeiro.

    A transplantao alognica uma opo para os doentes com idade inferior a 60 anos, em que a doena progrida aps transplante autlogo e quando h dador HLA idntico.

  • Linfomas

    Nos linfomas, as clulas que existem nos gnglios linfticos tornam-se malignas. Neste caso, a transplantao de medula ssea utilizada para permitir que sejam utilizadas doses macias de quimioterapia que podem ser eficazes para destruir o linfoma quando as doses convencionais so insuficientes. Assim, depois da administrao destas doses altas, o enxerto de medula vai permitir recuperar a produo de clulas do sangue.

    A maioria dos linfomas (doena de Hodgkin e linfomas no Hodgkin) curvel com quimioterapia convencional. No entanto, nos doentes que sofrem recada ou que tem fatores de mau prognstico, a probabilidade de sucesso muito reduzida com quimioterapia convencional. Nesses casos, h indicao para transplante. Quanto mais precocemente for efectuado o transplante, menor o risco de recada e, por conseguinte, maior probabilidade de cura.

  • A transplantao de medula, em especial o autotransplante,tem sido utilizada igualmente no tratamento de alguns casos de cancro da mama, tumores do testculo, tumores da criana (neuroblastomas, por exemplo) com resultados encorajadores.
    Em doentes com Cancro da mama tem sido utilizado em regime experimental o autotransplante, por este permitir utilizao de quimioterapia em doses mais elevadas. Nos doentes com mais de 10 ganglios axilares positivos e sem metstases, os resultados existentes, embora no definitivos, parecem apontar para um nmero superior de doentes sem sinais da doena 5 anos aps o transplante.
    Recentemente noa Carcinomas de clulas renais em progresso aps teraputica convencional, em doentes com menos de 65 anos e com dador HLA compatvel, foram obtidos resultados muito promissores com alotransplantes, aps regimes de condicionamento de baixa intensidade.

artigos relacionados